Vale a pena a Google pagar bilhões à Apple para evitar que você use o… Bing?

17

A Google parece não ter problemas em distribuir dinheiro para se manter intocável no posto de mecanismo de busca preferido. Relatórios revelaram que a companhia oferece incentivos financeiros a fabricantes de smartphones para que mantenham sua Play Store numa posição central do layout. Paga também desenvolvedoras para que elas ofereçam seus jogos aos usuários no Google Play. A companhia, ainda, dá uma quantia significativa à Apple para continuar sendo o mecanismo de busca que vem com a versão “de fábrica” do Safari — em 2021 ano, esse custo é estimado em US$ 15 bilhões.

As cifras aparecem em uma análise feita pela consultoria Bernstein, que espera que o Google vá queimar essa quantia para manter seu status nos dispositivos da Apple. O montante tem chances de chegar à casa dos R$ 20 bilhões em 2022. Essas estimativas se baseiam em padrões encontrados nos últimos relatórios financeiros divulgados pelas duas companhias. E, a não ser que algo mude significativamente para o próximo ano, a Google tem boas chances de continuar pagando muitos bilhões para permanecer em destaque para usuários de iOS

Publicações Relacionadas

Jane Horvath, diretora sênior de privacidade global da Apple, disse meses atrás que a companhia deixa o Google em suas versões de fábrica pelo fato de ele ser o mecanismo de busca mais popular. Além disso, o Safari permite que um usuário troque o Google por seu buscador de preferência, se assim ele escolher.

Ao que parece, Apple e Google mantêm uma espécie de relação simbiótica nesse acordo. A grande vantagem de ter o Google, tecnicamente, recai sobre a divisão de serviços da Apple, que sem dúvida ajudou a empresa a aumentar suas receitas ao longo dos anos. É algo útil, porque faz a Apple diversificar seus negócios para além do hardware.

Considerando que a palavra “antitruste” [ou a prevenção de monopólios pelo estímulo à competição] está rondando o Google como uma mosquinha, analistas apontam que esse acordo pode ser considerado um risco regulatório. Se o hábito for visto como uma evidência de prática anti-competitiva, analistas da Bernstein estimam que ele pode custar à Apple perdas entre 4 e 5% em seu lucro bruto. O Google até pode decidir parar de pagar a Apple de uma vez, mas analistas acreditam que isso não deve acontecer, já que a companhia “tem tendência a pagar para garantir que a Microsoft não cubra a oferta”.

A maior parte da receita do Google ainda vem dos ganhos com publicidade. A companhia empresa registrou um lucro recorde de US$ 61,9 bilhões, liderado pelo setor de buscas, que faturou US$ 7 bilhões. Mas não se sabe ao certo quanto o Safari contribui para os resultados financeiros do Google — ou se pagar bilhões à Apple realmente é uma boa ideia quando a alternativa que resta é o … Bing.

você pode gostar também