Para driblar a carência de profissionais de TI, Populos propõe que empresas formem pessoas

38

O setor de TI não para de crescer, especialmente impulsionados pela pandemia que acelerou a Transformação Digital. Mas a ascensão do setor não é proporcional à oferta de profissionais no mercado e empresas decidem atrair e reter jovens talentos

Suprir a demanda por profissionais em um setor que, somente em 2021, deverá crescer 63% no País, segundo relatório do Banco Nacional de Empresas (BNE), é um desafio que preocupa muitas empresas. De acordo com estudo da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação – Brasscom, até 2024 o mercado abrirá 70 mil novas vagas no Brasil, acarretando déficit de 290 mil profissionais em 2024 e a possibilidade de um “apagão” por técnicos, analistas e outros perfis estratégicos.

Somadas a isso, conclusões da recente conferência Brazil at Silicon Valley apontam que cerca de 35% dos cursos da área de TI não cumprem os requisitos básicos pedidos pelo mercado, o que coloca no mercado milhares de profissionais despreparados para o dia a dia das operações em tecnologia e-TICs.

Com a intenção de suplantar esse gap de mercado, empresas vêm nutrindo esforços para captar e fidelizar times, atraindo e formando novos talentos, inclusive dentro das escolas técnicas e universidades. É o caso da Populos, empresa paulistana que vive um processo intenso de expansão e necessita constantemente de profissionais para reforçar suas equipes.

Para contar com mão de obra que associe conhecimento técnico e compreensão do negócio, a Populos, especializada em virtualização e infraestrutura de TI, decidiu investir no Geração Tech 2021, programa de estágios que visa preparar pessoas para comporem os quadros de RH da empresa em definitivo.

O novo perfil do profissional

Publicações Relacionadas

Com a meta de contratar 10 candidatos na primeira edição do Geração Tech, a Populos recebeu mais de 2.500 inscrições para o processo seletivo. Mas chegar aos finalistas não foi um trabalho simples.

Segundo Clea Lima, diretora da Populos, a formação em TI ainda traz muitas deficiências em relação ao que o mercado demanda. A executiva comenta que a maioria dos concorrentes trazia uma visão “estreita” da profissão, com foco fechado em uma área de atuação específica.

A diretora acrescenta que, no atual momento da TI, profissionais da área precisam ter um perfil full stack e multitarefa. Por isso, os novos estagiários terão oportunidade de vivenciar todas as etapas da cadeia produtiva da organização. “O objetivo é tornar os estudantes aptos para atuarem em todas as pontas – front e back end – e dessa forma efetivar os mais aderentes às nossas necessidades”, reforça Clea.

Aprendizado e qualificação

“Vamos promover inscrições para o Geração Tech anualmente e, mesmo os que não forem absorvidos pela Populos, terão adquirido experiência e conhecimentos que os tornarão mais aptos a disputar vagas no mercado de trabalho”, ressalta Clea, explicando que o programa inclui conhecimentos práticos e teóricos, laboratórios e workshops.

Apoio ao desenvolvimento pessoal e profissional do colaborador

Para ela, após a formação dos talentos começa o desafio da fidelização, uma vez que bons profissionais são alvo de disputa num nicho da economia que apresenta as maiores taxas de turnover no Brasil.

Nesse sentido, a Populos oferece um ambiente de trabalho horizontal, com gestão moderna e apoio ao desenvolvimento pessoal e profissional dos funcionários. Essa política de RH levou a empresa a ser uma das indicadas ao prêmio Great Place to Work em 2021, que reconhece as organizações pelas Boas Práticas na Gestão de Pessoas.

você pode gostar também