Os carros do futuro serão definidos por software

14

Com as atualizações constantes, como ocorre com o smartphone, as montadoras poderão desenvolver veículos personalizados para cada usuário

A Volvo Cars e a Nvidia delinearam a arquitetura de computação centralizada que irá alimentar os futuros veículos definidos por software. Esta arquitetura, construída na plataforma Nvidia Drive Orin, é o que a Volvo está usando em sua frota de próxima geração. Com uma arquitetura definida por software, os carros não estarão mais em sua melhor forma quando saírem da fábrica, mas sim melhorando constantemente por meio de atualizações pelo ar, como nos smartphones. Essa flexibilidade permitirá até que as montadoras desenvolvam veículos e experiências personalizáveis ​​para cada cliente.

“A Volvo Cars é um dos nossos primeiros parceiros com a visão de incluir um computador de alto desempenho em toda a sua linha de veículos”, disse Ali Kani, vice-presidente da Nvidia . “Eles acreditam que o carro vai ficar melhor depois do dia que você comprar. Com uma arquitetura definida por software, podemos continuar a fornecer novos serviços, novos aplicativos ao longo da vida do carro”, comentou.

A Volvo Cars está reconstruindo sua arquitetura de computação do veículo do zero para oferecer suporte a essa visão definida por software. Os carros na estrada hoje são movidos por dezenas de unidades de controle eletrônico (ECUs) distribuídas por todo o veículo. Cada ECU controla uma função específica, como vidros elétricos ou o sistema de infoentretenimento. Essa estrutura requer longos ciclos de desenvolvimento e pode ser incrivelmente complicada de atualizar à medida que novas tecnologias surgem.

A Volvo Cars tem como objetivo criar um “computador sobre rodas” para sua próxima geração de veículos, consolidando essas ECUs em uma arquitetura centralizada. Este sistema será construído no Nvidia Drive Orin, a plataforma de computação de veículos autônomos definida por software, funcionalmente segura e protegida.

Publicações Relacionadas

O sistema de computação central, que será apresentado em um modelo a ser revelado em 2022, é composto por três computadores principais. Estes apoiam-se mutuamente no processamento de visão operacional e Inteligência Artificial, computação geral e infoentretenimento, respectivamente.

“Para realmente ter um bom sistema de visão computacional, você precisa de um bom poder de computação”, disse Håkan Samuelsson, CEO da Volvo Cars. “Quando se trata de toda a experiência no carro – na qual contamos para diferenciar nossos veículos – com computação centralizada, você pode desenvolvê-la com muito mais flexibilidade e rapidez”, completou.

Com o Nvidia Drive Orin no centro dos veículos da Volvo Cars, o objetivo é continuar a ser mais seguro e pessoal ao longo do tempo por meio de atualizações pelo ar, enquanto mantém espaço de computação suficiente para melhorar a visão e o processamento do sensor.

Segurança e Proteção

A Volvo Cars é conhecida por sua herança de segurança e esse legado se estende às suas futuras frotas inteligentes. A plataforma Nvidia Drive foi projetada para redundância e diversidade para oferecer o mais alto nível de segurança. Sua arquitetura de segurança foi desenvolvida para lidar com o grande número de aplicativos e redes neurais profundas que funcionam simultaneamente em veículos definidos por software, de acordo com o padrão ISO 26262 ASIL-D.

“Ao desenvolver software internamente, podemos aumentar a velocidade de desenvolvimento e melhorar o seu Volvo mais rápido do que podemos hoje”, disse Henrik Green, diretor de Tecnologia. “Assim como em seu smartphone ou computador, novos softwares e recursos podem ser implementados rapidamente por meio de atualizações over-the-air, tornando seu Volvo melhor e ainda mais agradável com o tempo”, observou.

você pode gostar também