O impacto da fraude do comércio eletrônico em varejistas e compradores

14

Há uma grande desconexão entre varejistas e compradores sobre a questão da fraude do comércio eletrônico, revela Riskified.

A pesquisa, que contou com 4.000 consumidores e 400 varejistas nos EUA, Reino Unido, França e Alemanha, destaca o quão generalizada é a fraude no varejo online, a extensão de seu impacto financeiro duradouro e como ela é percebida aos olhos dos compradores versus varejistas.

Aumento das tentativas de fraude desde o início da pandemia

Nos EUA, 82% dos varejistas disseram ter visto um aumento nas tentativas de fraude desde o início da pandemia, com o abuso promocional tendo o maior impacto negativo (46%) nas receitas seguidas de aquisições de contas (43%).

O impacto da fraude nos resultados dos varejistas é severo, com 26% dos varejistas globais dizendo que a fraude está prejudicando significativamente sua rentabilidade. Pior ainda, 34% dos varejistas globais disseram ter perdido entre 5% e 10% de sua receita de comércio eletrônico para fraude em 2020.

Uma diferença de confiança entre varejistas e consumidores em todo o mundo também foi descoberta, com 55% de todos os varejistas afirmando estar confiantes em sua capacidade de evitar fraudes relacionadas ao comércio eletrônico, apesar de apenas 34% dos consumidores confiarem na capacidade dos varejistas de evitar essa fraude.

Especificamente nos EUA, 33% dos consumidores online disseram que suas preocupações com as compras online continuam a crescer e 45% dos consumidores acreditam que os varejistas terão ainda mais dificuldade em evitar fraudes durante o próximo ano.

Impacto de marca de longo prazo por fraude no comércio eletrônico

O impacto da marca a longo prazo também foi um fator proeminente para a confiança dos consumidores nas compras online. 40% dos consumidores dos EUA disseram que culpariam o varejista se sua conta fosse comprometida, mas cerca de 66% disseram que não comprariam online novamente de uma loja onde sua conta foi comprometida.

Quando se trata de prevenção de fraudes, a autenticação de dois fatores foi reconhecida pelos entrevistados como a ferramenta mais eficaz. No entanto, também foi classificada como a mais prejudicial à receita para varejistas do Reino Unido e da França, e a segunda mais prejudicial para os varejistas dos EUA e da Alemanha. Isso pode ser atribuído ao atrito que pode adicionar à experiência do cliente.

O uso de novas tecnologias para suavizar o processo de pagamento e reduzir fraudes está se tornando mais prevalente também.

“Não é surpresa que o rápido crescimento do comércio eletrônico também tenha levado a um aumento na fraude do comércio eletrônico, e, como nossa pesquisa mostra, o impacto é significativo tanto para comerciantes quanto para consumidores”, disse Peter Elmgren, diretor de receita da Riskified.

“A fraude apresenta desafios únicos para os varejistas que desejam proteger seus negócios, ao mesmo tempo em que oferece uma experiência perfeita e segura para os compradores. De acordo com a Juniper Research, os comerciantes perderam US$ 17 bilhões por fraude no comércio eletrônico em 2020, e esse número deve ultrapassar US$ 25 bilhões em apenas três anos.”