Incidente indica exposição de dados de 700 milhões de usuários do LinkedIn

19

Em comunicado, empresa desmente qualquer vazamento e ressalta que nenhuma informação privada de usuários foi expostaApós sofrer um vazamento de dados em abril deste ano, o LinkedIn voltou a ser o centro das atenções na tarde desta terça-feira (29). Segundo informações do site Restore Privacy, dados de 700 milhões de usuários do LinkedIn estariam à venda em um fórum hacker.

O  cibercriminoso teria divulgado as informações para venda no dia 22 de junho e postado uma amostra desses dados de usuários da rede social. Entre os conteúdos divulgados estão os endereços de e-mail, nomes completos, números de telefones, endereços físicos e URL do perfil. 

Em nota, a assessoria de imprensa comentou que as equipes investigaram um conjunto de supostos dados do LinkedIn que foram postados para venda e esclareceu que não se trata de um vazamento e que nenhuma informação privada foi exposta. E ainda ressaltou que, em uma análise inicial, descobriram que esses dados em questão foram extraídos do LinkedIn e de outros sites e inclui as mesmas informações relatadas no início deste ano.

Security Report entrou em contato com a assessoria de imprensa e disponibiliza o comunicado oficial na íntegra:

“Nossas equipes investigaram um conjunto de supostos dados do LinkedIn que foram postados para venda. Queremos deixar claro que não se trata de um vazamento e que nenhuma informação privada de usuários do LinkedIn foi exposta. Nossa análise inicial descobriu que esses dados foram extraídos do LinkedIn e de outros sites e inclui as mesmas informações relatadas no início deste ano.

Os usuários confiam seus dados ao LinkedIn, e qualquer uso indevido, como a extração de informações (conhecido como scraping), viola os termos de serviço do LinkedIn. Quando alguém coleta essas informações e as usa para fins com os quais o LinkedIn e nossos usuários não concordaram, trabalhamos para impedi-los e responsabilizá-los.

Para obter informações adicionais sobre nossas políticas e como protegemos os dados dos usuários contra uso indevido, acesse: https://www.linkedin.com/help/linkedin/answer/56347/prohibited-software-and-extensions“. 

você pode gostar também