Governo Biden aprova subsídios para substituir equipamentos de telecom chineses

9
flags of USA and China painted on cracked wall

Em votação unânime na terça-feira, 13, a Comissão Federal de Comunicações (FTC) norte-americana finalizou um programa de US$ 1,9 bilhão para remover e substituir equipamentos de empresas de telecomunicações chinesas consideradas riscos à segurança nacional pelo governo dos Estados Unidos.

O programa visa subsidiar o custo para pequenas empresas de telecomunicações nos Estados Unidos para substituir equipamentos de empresas como Huawei e ZTE em um esforço para proteger as redes dos Estados Unidos, segundo informa a rede CNBC.

Para ter direito aos fundos, as empresas de telecomunicações dos EUA devem atender a 10 milhões ou menos de clientes. Isso é um limite mais alto do que os 2 milhões anteriores ou menos em uma versão anterior do pedido. As empresas qualificadas que obtiveram equipamentos de empresas como Huawei ou ZTE antes de 30 de junho de 2020 podem solicitar o reembolso dos custos de substituição.

Autoridades americanas há muito reclamam que as empresas chinesas estão em dívida com a República Popular da China e coletam informações confidenciais em nome do Exército de Libertação Popular. O Partido Comunista Chinês disse anteriormente que não pratica espionagem industrial. Sob o comando do ex-presidente Donald Trump, os EUA acrescentaram uma série de empresas chinesas à sua lista negra econômica . Entre eles estavam a maior fabricante de smartphones do país, Huawei, a fabricante líder de chips SMIC e a maior fabricante de drones, a SZ DJI Technology.

Em um esforço para isolar ainda mais a Huawei da China, maior fabricante de equipamentos de telecomunicações do mundo, Trump pressionou os países parceiros dos EUA a negar o acesso da Huawei às suas redes 5G. A administração Trump trabalhou especificamente para impedir que os membros do grupo de compartilhamento de inteligência dos “cinco olhos” – EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália e Nova Zelândia – trabalhassem com a Huawei.

O ex-secretário de Estado Mike Pompeo descreveu anteriormente a Huawei e outras empresas chinesas de tecnologia apoiadas pelo estado como “cavalos de Tróia para a inteligência chinesa”.

Em abril, o governo Biden acrescentou sete entidades de supercomputação chinesas a uma lista negra econômica dos EUA, citando preocupações com a segurança nacional.

O Departamento de Comércio dos EUA adicionou Tianjin Phytium Information Technology, Shanghai High-Performance Integrated Circuit Design Center, Sunway Microelectronics, National Supercomputing Center Jinan, National Supercomputing Center Shenzhen, National Supercomputing Center Wuxi e National Supercomputing Center Zhengzhou à sua lista negra. As sete entidades foram colocadas na lista negra por “construir supercomputadores usados ??por organizações militares da China, seus esforços desestabilizadores de modernização militar e/ou programas de armas de destruição em massa”.

você pode gostar também