Firefox volta a perder terreno para o Edge e Chrome se mantém no topo

101

A luta dos browsers tem sido feroz e deixa o Firefox numa péssima posição, dando um destaque muito grande ao Edge. Este novo browser da Microsoft agrada a muitos utilizadores e é já a escolha óbvia para muitos.

Os números parecem confirmar esta sua nova posição única e um crescimento muito relevante. Há mais uma fonte a garantir que o Firefox perdeu a sua posição e que agora é o Edge a assumir a sua posição no mercado dos browsers, ainda longe do Chrome.

Firefox não para de perder terreno

Não é novidade nenhuma que o Edge se está a tornar num browser cada vez melhor. Este tem recebido novidades constantes e melhorias que o tornam numa proposta que cada vez mais cativa os utilizadores, e não apenas no Windows 10.

A sua prestação terá levado a que tenha ultrapassado já o Firefox, mas os dados estavam ainda só limitados a uma fonte confiável. Em meados do ano passado, a informação da NetApplications Market Share mostrava que esta ultrapassagem tinha sido já realizada.

Publicações Relacionadas

Outra prova que o Edge cresce no mercado

Com o passar dos meses esta posição foi ficando cada vez mais óbvia, fruto de algumas mudanças que a Microsoft tomou. Este é agora o browser padrão do Windows 10 e o substituto natural (e imposto) para o Internet Explorer e para o Edge original.

Agora, e segundo os dados da conhecida StatCounter, o Edge voltou a marcar uma posição. A nova proposta da Microsoft também já ultrapassou o Firefox nesta plataforma de estatísticas, assumindo a sua posição na tabela dos browsers.

Chrome é ainda o browser que domina

A diferença é ainda marginal, mas mostra que o Firefox está mesmo a perder terreno e a sua posição de destaque. A sua segunda posição neste mercado está ameaçada e dificilmente a conseguirá recuperar. O peso do Windows 10 aqui será importante e o Edge é o padrão neste sistema.

Quanto ao Chrome, nada parece ter mudado ao longo dos últimos meses. Domina de forma única e a uma distância que dificilmente conseguirá se recuperada por qualquer um dos browsers concorrentes nos próximos anos.

você pode gostar também