Ericsson amplia seu portfólio Cloud RAN

12

Empresa também vai adicionar MIMO massivo (múltiplas antenas transmissoras e receptoras em português) à solução para aumentar a performance da tecnologia de quinta geração. Ericsson Cloud Link permite implantações de Cloud RAN para usar hardware e software de rede existentes e aumentar o desempenho e alcance, impulsionando Cloud RAN de alto desempenho em banda média com tecnologia Intel

A Ericsson ampliou a sua oferta Cloud RAN (Radio Access Network) para incluir suporte para implementações de banda média 5G e múltiplas antenas (Massive MIMO, em inglês). Com o espectro de banda média, os provedores de serviços de comunicação podem capitalizar seus ativos espectrais de 5G para implementar serviços de forma rápida e eficiente, ao mesmo tempo em que conseguem oferecer uma experiência mais responsiva aos usuários de banda larga móvel.

Essas melhorias mais recentes no portfólio da Ericsson foram desenvolvidas em estreita colaboração com clientes como a Verizon. Elas permitirão que os provedores de serviços evoluam continuamente em direção a tecnologias nativas de nuvem e arquiteturas de rede aberta, ao mesmo tempo em que atendam à demanda por mais flexibilidade de implantação. Os provedores de serviço também poderão estender o alcance do Ericsson Cloud RAN com sete milhões de equipamentos prontos para o 5G, já em campo globalmente.

Desde a introdução do Ericsson Cloud RAN no final do ano passado, a Ericsson tem tido a capacidade de apresentar uma solução RAN virtualizada para todos os cenários de implantação, incluindo redes existentes – também conhecidas como ‘implantações bluefield’. As implantações Bluefield permitem que os provedores de serviços implantem o Cloud RAN em suas redes e capitalizem a total interoperação entre as duas arquiteturas de rede. Isso é impulsionado pelo Ericsson Cloud Link, que permite que tecnologias de rede de valor agregado, como o Ericsson Spectrum Sharing, Uplink Booster e Carrier Aggregation, operem em várias plataformas.

Fredrik Jejdling, vice-presidente executivo e chefe de redes da área de negócios da Ericsson, afirma: “Nosso objetivo é desenvolver constantemente as melhores tecnologias, trabalhando em estreita colaboração com os nossos clientes. Continuamos investindo em tecnologia para estarmos a frente e ofertarmos um portfólio de alto desempenho e custo-benefício, conforme evidenciado em nossos últimos lançamentos. Agora estamos trazendo esse alto desempenho para Cloud RAN com a visão de que os nossos clientes podem implantar redes nativas em nuvem virtualmente, em qualquer lugar, em qualquer nuvem e plataforma de servidor”.

Joe Madden, analista-chefe da Mobile Experts, afirma: “O que a Ericsson está fazendo vai além de empilhar novas tecnologias em cima do acesso de rádio já existente. Em vez disso, eles trazem possibilidades inovadoras de ganhos de desempenho combinando Cloud RAN de banda média com os sete milhões de equipamentos da companhia já em uso. A utilização coordenada de RAN virtualizado e rádios pré-integrados envolve otimização e interoperabilidade entre gerações, o que deve reduzir o custo total para as operadoras”.

Aumentando o desempenho do Cloud RAN com Intel
Uma implantação 5G de banda média de alto desempenho requer 150 vezes mais potência de computação do que 4G, na metade do tempo. Com a adição de aceleradores de hardware para fornecer parte desse poder de computação necessário, a infraestrutura em nuvem se torna uma opção viável para implantações de banda média. Para atender aos padrões de alto desempenho em 5G e além, a Ericsson e a Intel formam essa parceria pioneira em Cloud RAN.

O Ericsson Cloud RAN cria mais opções para provedores de serviços de comunicação e oferece uma plataforma verdadeiramente agnóstica em nuvem, com o suporte de seu parceiro estratégico de longo prazo, a Intel. O portfólio alavancará a computação da Intel – em várias gerações de produtos de processadores escaláveis ​​Intel Xeon e tecnologia de acelerador, para permitir soluções de capacidade de alta densidade. Isso permite que ambas as empresas forneçam o tipo de desempenho visto nos ambientes RAN mais exigentes do mundo.

Navin Shenoy, vice-presidente executivo e gerente geral do Grupo de plataformas de dados da Intel, afirma: “As nossas tecnologias, como os processadores Xeon, impulsionaram o crescimento massivo da Nuvem e agora estão desempenhando um papel fundamental no ímpeto da vRAN. Nossa parceria de longa data com a Ericsson está entrando em uma nova fase, com o objetivo comum de fornecer experiências mais ricas para usuários do 5G”.

Colaborando com ecossistemas de inovação aberta
O surgimento de arquiteturas de computação virtualizada e distribuída, junto com a desagregação de hardware e software, reforçou o valor dos ecossistemas de inovação aberta. O Ericsson Cloud RAN foi projetado para ser agnóstico em nuvem, com serviços de integração em nuvem suplementares para facilitar a integração à infraestrutura de nuvem do provedor de serviços de escolha.

Para entregar esse valor e construir sobre a base estabelecida com a Intel, a Ericsson também está trabalhando com parceiros do ecossistema, incluindo fornecedores de infraestrutura de TI líderes do setor, como a Hewlett Packard Enterprise (HPE). Essa colaboração traz flexibilidade adicional para implantações de Cloud RAN, já que os clientes da Ericsson agora também terão a opção de selecionar computação periférica otimizada para carga de trabalho HPE com base em servidores HPE ProLiant e qualquer plataforma de nuvem para implantar as suas redes Cloud RAN.

Fonte: Ericsson

você pode gostar também