China proíbe uso de criptomoedas em bancos e empresas de pagamentos

O governo da China anunciou nesta semana que proibiu que instituições financeiras e empresas de pagamentos aceitem ou ofereçam serviços que envolvam transações em criptomoedas. A medida é mais uma tentativa de Pequim de conter o avanço de moedas como o Bitcoin.

Em comunicado oficial divulgado pela imprensa estatal, órgãos governamentais ainda alertaram investidores e consumidores sobre os perigos que envolvem as transações em criptomoedas.

Recentemente, os preços das criptomoedas dispararam e despencaram rapidamente […] e o comércio especulativo de criptomoeda voltou, prejudicando gravemente a segurança da propriedade das pessoas e perturbando a ordem econômica e financeira normal.

Apesar do aumento da repressão contra as criptomoedas, a China ainda não proibiu que indivíduos tenham acesso a elas. Com isso, transações entre pessoas ainda podem acontecer, sendo que fica mais difícil comprar itens no comércio ou efetuar pagamentos em alguns estabelecimentos.

Apesar do novo comunicado, a China já tem uma lei que condena a especulação. Ela foi aprovada em virtude das constantes altas e baixas do mercado Bitcoin, sendo que a medida desta semana só reforça o conteúdo da lei.

Cabe lembrar que a China também tem uma moeda própria conhecida como Yuan Digital. Por isso, alguns analistas acreditam que a proibição dos pagamentos em Bitcoins tende a favorecer o uso da nova moeda, uma vez que empresas e bancos estão sendo incentivados a migrar para a plataforma governamental.