Apple vai diminuir a produção dos AirPods por falta de procura

26

Os produtos da Apple são geralmente adotados pelo mercado, de forma massificada. Qualquer que seja a novidade, reúne incontáveis encomendas em “três tempos”; não fosse o seu estatuto e o seu carimbo de qualidade. No entanto, a Apple parece estar a ter azar com os AirPods.

Aparentemente, a Apple está a cortar na produção de AirPods devido ao aumento da concorrência.

AirPods com menos encomendas do que o esperado

Os AirPods sofreram, ao longo tempo, uma positiva evolução que os tornou melhores a cada nova versão, além de lhes conferir o estatuto de sucesso que hoje detêm. No entanto, parece que as suas vendas não têm correspondido às expectativas.

Um novo relatório da Nikkei sugere que a Apple tem ainda muitos AirPods nos seus armazéns. Em resultado, o mesmo relatório refere que a empresa está até a planear reduzir a produção dos equipamentos de forma substancial, ainda este ano.

Conforme revela o relatório, elaborado a partir de várias fontes anónimas, a Apple estará a solicitar aos seus fornecedores que reduzam a produção em 25-30%.

A redução de encomendas mais significativa é para o segundo trimestre a caminho do início do terceiro trimestre. Os níveis de inventário e os stocks de AirPods nas lojas são atualmente elevados… e a procura não é tão forte como se esperava.

Publicações Relacionadas

Explicou uma das fontes à Nikkei.

Inicialmente, esperava-se que a Apple produzisse mais de 100 milhões de de AirPods. Contudo, se o relatório fizer jus à verdade, a empresa produzirá cerca de 75 a 85 milhões de unidades, em 2021. Este número representa uma significativa queda em relação às expectativas iniciais.

Quota da Apple cai, mas continua na frente

Apesar dos números preocupantes, a Apple continua a ser marca dominante neste segmento dos auriculares sem fios, uma vez que a marca que se segue, a Xiaomi, detém menos de metade da quota de mercado da Apple. Ainda assim, a sua quota está em queda, sendo que, segundo um relatório da Counterpoint, divulgado em janeiro, o valor caiu dos 41% para os 29%, num espaço temporal de 9 meses.

A razão para estes resultados poderá residir no aumento da oferta concorrente. Afinal, há muitas marcas que produzem auriculares sem fios a um preço consideravelmente mais apetecível.

Embora o cunho Apple possa ser uma garantia para muitos consumidores, também há aqueles que valorizam o preço.

você pode gostar também