100% das operações do Facebook são agora suportadas por energia renovável

Tem vindo a ser um horizonte estabelecido por várias empresas, marcas e até países e, por essa razão, é um fator de esperança que esteja a começar a ser atingido. A neutralidade carbónica ou a diminuição das emissões são duas das maiores apostas para aquele que consideram ser o salvamento do planeta. Nesse sentido, o Facebook anunciou que as suas operações são, agora, 100% suportadas por energias renováveis.

Recorde-se que estes objetivos operacionais foram estabelecidos em 2018.

Facebook ultrapassou as expectativas

O Facebook relatou que as suas operações são agora 100% suportadas por energias renováveis. Estando o Dia da Terra tão perto, dia 22 de abril, podemos considerar que esta foi uma forma de o Facebook comemorar.

Inicialmente, em 2018, o Facebook estabeleceu o objetivo de reduzir as emissões resultantes das suas operações em 75%. No entanto, esta marca foi mais do que ultrapassada agora, tendo a empresa registado uma redução de 94% das suas emissões de gases com efeito de estufa.

Em três anos, conforme publicado por Mark Zuckerberg, o Facebook tornou-se num dos maiores compradores empresariais de energias renováveis do mundo.

Para isto, a empresa investiu “8 mil milhões de dólares em 63 projetos de energia eólica e solar, por todo o mundo”, criando milhares de postos de trabalho.

De acordo com a RE100, além do Facebook, existem cerca de 290 outras empresas a inscreverem-se para serem 100% suportadas por energias renováveis, num período de tempo estabelecido.

Um objetivo concluído seguido de consciencialização

Paralelamente ao objetivo concluído, a empresa está a reunir organizações e vozes ativas no que concerne às alterações climáticas, de forma a criar uma verdadeira corrente de informação. No próximo Dia da Terra, serão promovidos, no Facebook, conteúdos que irão ajudar as pessoas a minimizar o seu impacto nas alterações.

Além disso, está a preparar vários eventos, como concertos, debates com líderes mundiais, figuras públicas, ativistas, entre outros. Juntamente com a National Geographic, permitirá que as pessoas conheçam Parques Nacionais virtualmente.

Portanto, podemos esperar muita atividade relacionada com as alterações climáticas nas plataformas do Facebook. Embora não seja um tema que seja do agrado de toda a gente, é importante que empresas com a dimensão do Facebook contribuam com informação.